browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Oriente Médio: Guerra mais Ampla Trará Lei Marcial nos EUA (e este é um Objetivo)

Posted by on 30/10/2023

Não muito tempo atrás, no auge do medo em relação à pandemia global, os EUA passaram por uma mudança que muitas pessoas argumentaram que nunca aconteceria. Durante anos ouvi pessoas dizerem que os controles autoritários nos EUA são uma “teoria da conspiração” de lunáticos e uma propaganda da destruição – toda a preparação [Preppers], toda a conversa sobre organização comunitária, todas as armas, munições, os equipamentos e treinamento foram em vão. Então… a agenda pandêmica covid atingiu tudo como um trem de carga desgovernado carregado de explosivos.

Oriente Médio: Guerra mais Ampla Trará Lei Marcial nos EUA {e este é UM Objetivo}

Fonte: Alt-Market – Por Brandon Smith

Os nossos direitos constitucionais já não eram imutáveis, mas meras diretrizes que os funcionários do governo podiam dobrar ou quebrar em nome da “segurança da saúde pública”. As leis não precisavam mais passar por uma série de freios e contrapesos; os mandatos tirânicos poderiam ser implementados como se fossem leis sem supervisão pública e aplicados unilateralmente.

Falou-se (principalmente entre os democratas) de punições severas para as pessoas que recusassem as inúteis mas perigosas vacinas mRNA covid. Eles queriam impor passaportes para vacinados, queriam prisão para aqueles que falavam publicamente contra as vacinas, queriam que os empregos das pessoas fossem tirados, queriam que seus filhos fossem tirados, e havia até planos para construir centros de detenção covid para segregar e trancar “negadores da vacina.”

Isso confunde a mente, mas este foi um debate sério dentro dos EUA e tudo foi desencadeado no espaço de um ano. Quase metade do país estava disposta a abandonar a Declaração de Direitos por causa de um vírus de laboratório com uma taxa de sobrevivência de 99,8%. Os teóricos da conspiração estiveram certos o tempo todo; as nossas liberdades estão no fio da navalha e prepararmo-nos para sobreviver e lutar por essas liberdades é perfeitamente racional.

Felizmente, a agenda covid falhou [após matar milhares, senão milhões de incautos]. Os mandatos acabaram por ser bloqueados pelos estados republicanos e, em muitas zonas rurais, quase não foram aplicados. A tentativa de passaporte para a vacina de Biden foi interrompida pelo Supremo Tribunal, mas há muito que acredito que o Supremo tomou esta decisão exatamente por causa do nível de resistência pública. Eles sabiam que se pressionassem a questão, a guerra civil estaria em jogo.

O autoritarismo médico entrou em colapso porque os conservadores e independentes não estavam a bordo e não podiam ser envergonhados e obrigados a obedecer. Mas o que acontece quando há uma crise que assusta os conservadores? O que acontece quando a direita política percebe uma ameaça verdadeira? A liberdade torna-se então insustentável?

Os vírus assustam os progressistas liberais “acordados” (mas a maioria das coisas assusta os liberais progressistas “acordados”), mas o que assustaria os conservadores?

Bem, não é uma regra rígida e rápida, mas de modo geral os conservadores ficam mais perturbados com a ameaça de invasão ao país. Pergunte a qualquer conservador se ele estava preocupado com a covid ou com a crise de imigrantes na fronteira sul durante a pandemia e a grande maioria deles diria a fronteira sem hesitação. Os conservadores temem a infiltração cultural e a cooptação, temem a redução constante e deliberada da sua herança americana e, por extensão, das suas liberdades por impostores estrangeiros. E temem a certa blitzkrieg dos EUA pelo terrorismo organizado caso as fronteiras permaneçam abertas.

A questão é: estarão eles dispostos a atenuar os seus medos sacrificando as próprias liberdades que querem proteger?

Em 2001, depois do 11 de Setembro, o movimento conservador era um animal muito diferente do que é hoje. Esta foi a influência pré-Ron Paul e pré-libertária. Os neoconservadores dominavam e tinham um poder de longo alcance sobre a percepção pública, tornando sem precedentes a pressão para a rejeição dos direitos constitucionais. A mentalidade do Patriot Act era generalizada e a sede de guerra era palpável. Já vi conservadores se desviarem da Declaração de Direitos no passado em nome da luta contra uma possível invasão. Lembro-me disso vividamente.

Hoje, os elementos em jogo não são os mesmos de 2001. Qualquer pessoa que argumente o contrário era provavelmente uma criança durante a era do 11 de Setembro ou tem uma compreensão distorcida das mudanças que ocorreram entre os conservadores desde então. O movimento Ron Paul mudou muito para melhor, mas principalmente dentro do eleitorado conservador. As pessoas comuns mudaram a sua forma de pensar sobre o que significa trocar a liberdade pela segurança. O Partido Republicano? É um sonho pensar que algum dia poderíamos mudar completamente o Partido Republicano. Pelo menos a covid provou que temos aliados em nível estadual e local em suas fileiras.

O verdadeiro problema reside na velha guarda dos neoconservadores que ainda influencia o caminho do Partido Republicano. Estas são pessoas que se aliam alegremente aos psicopatas dos Democratas nos bastidores, têm laços estreitos com as elites estabelecidas e a sua lealdade está nas mãos e nos bolsos dos globalistas.  Se os globalistas querem a guerra, então os neoconservadores querem a guerra e farão tudo para a conseguir, incluindo criá-la. É assim que funciona.

E desta vez acho que eles vão conseguir o que querem. O acontecimento na Ucrânia não conseguiu atrair os americanos e europeus [afinal de contas, é a Rússia…] para apoiarem a intervenção direta (a maioria dos americanos nem sequer apoia o financiamento para a Ucrânia), mas apoiar Israel é outra questão.

Existem implicações muito antigas, fanatismo religioso e implicações tribais que atraem as almas dos conservadores quando se trata dos conflitos no Oriente Médio. Existem fatores religiosos, sim, mas suspeito que isto seja exagerado pelos críticos que pensam que os evangélicos estão comandando o espetáculo. Isto não é realidade.

O mandato cristão não tem nem de longe a mesma influência que tinha em 2001. Na verdade, as igrejas tornaram-se tão fracas que estão agora a ser ultrapassadas pela infiltração LGBTQ+ e pelo ativismo transgênero, et caterva. Isto nunca teria sido tolerado há 20 anos – eles teriam manchado e coberto de penas esses ativistas naquela época. Se hoje em dia se permite que este tipo de coisas aconteça nos nossos quintais, então podemos ter a certeza de que a religião não é a força motriz da guerra no estrangeiro.

Não, quando se trata de Israel e das implicações da guerra, a preocupação está mais uma vez enraizada no apagamento cultural. Para ser justo, não é uma ilusão paranoica. A cultura ocidental está, de fato, a ser sistemática e intencionalmente desmantelada e a imigração em massa aqui e na Europa faz parte dessa agenda. Também é verdade que a ideologia islâmica é completamente incompatível com as crenças ocidentais, incluindo o conceito de individualismo. Os sistemas muçulmanos são de natureza autoritária, é isso que é a Lei Sharia.

Assim, quando os conservadores vêem o potencial para a queda de Israel, associam-no à queda do Ocidente e procurarão impedi-la, se puderem. Para além de Israel está a preocupação de que uma invasão de extremistas muçulmanos já esteja em curso nos EUA, com as políticas de fronteiras abertas a tornarem-se a norma sob 9’Dementia’ Joe) Biden. E é aqui que a armadilha foi lentamente sendo armada…

A lei marcial nos EUA só funcionaria se a maioria dos conservadores a apoiasse. Isto é um fato. Sem o nosso apoio, a lei marcial falhará, tal como os tirânicos mandatos covid falharam. Tenha em mente que Biden e os seus amigos globalistas usaram todas as táticas possíveis para tornar a lei marcial uma inevitabilidade. A instabilidade econômica e a estagflação criaram um aumento na criminalidade violenta e nas pilhagens. A migração ilegal em massa está a arrastar os sistemas de segurança social do Estado e a criar uma tendência de diluição cultural. As fronteiras abertas permitiram a entrada de qualquer número de possíveis hostis estrangeiros nos EUA.

No meio da guerra no Oriente Médio, o desejo do governo de controlar a informação e o discurso público estará no seu ápice. No entanto, como vimos durante a covid-19 e a guerra na Ucrânia, eles não se mostraram eficazes para conseguir isso. Enquanto a Internet existir, não importa que tipo de algoritmos a Big Tech aplique para reprimir a verdade, a verdade ainda encontra um caminho para vir à tona. Isto significa que o sistema terá de adotar através da imposição de medidas extremas que só poderiam ser alcançadas num ambiente de lei marcial. Vejo que esta situação irá evoluir de duas maneiras se a atual tendência geopolítica continuar…

Opção A:   Uma guerra em múltiplas frentes irrompe no Oriente Médio, incluindo nações como o Irã, a Síria, o Líbano, a Jordânia, Iraque, Turquia e o Iémen. Israel enfrenta um grave fracasso. Os EUA são arrastados para a guerra, ou Israel usa o seu arsenal nuclear para destruir os recursos (incluindo populações) de nações inimigas, levando ao possível envolvimento da China e da Rússia, e assim, os EUA ainda são arrastados para dentro de um potencial conflito mundial e nuclear.

Motins e ataques terroristas tornam-se uma ocorrência regular dentro dos EUA, não apenas iniciados por infiltrados extremistas muçulmanos, mas também por esquerdistas que se ligaram à causa [do CAOS absoluto].

É iniciado um projeto que os conservadores apoiam na esperança de que ajude a dissolver os tumultos. O projeto afundará milhões de zumbis (incluindo mulheres) num atoleiro sangrento ao qual não têm capacidade de se adaptar. Os protestos e motins tornam-se a norma, levando os conservadores a apoiar uma aplicação ainda mais rigorosa da “Lei Marcial”.

Finalmente, a lei marcial é anunciada, mas os soldados usados ​​em solo americano para nos “proteger” de motins e terroristas serão principalmente de cidadãos estrangeiros – os migrantes ilegais terão uma oportunidade fácil de se tornarem cidadãos se se juntarem às forças armadas e pisarem nos dissidentes, o que farão com prazer porque não têm qualquer ligação cultural com a América ou com os americanos. Nesta fase, a constituição essencialmente morrerá.

Opção B: A guerra expande-se e Israel enfrenta uma destruição iminente. Biden compromete as forças navais dos EUA na luta junto com as tropas terrestres, principalmente as Forças Especiais. Apela então ao envio total das forças terrestres dos EUA para a região, mas neste cenário a maioria dos conservadores não apoia a ação, tal como não apoiou o seu envio para a Ucrânia.

Biden tenta implementar uma tirania para forçar o ímpeto. Os conservadores recusam-se a obedecer ou a permitir que os seus filhos sejam enviados para morrer num conflito estrangeiro. Nesta questão, conservadores e esquerdistas concordam, mesmo que seja por razões completamente diferentes. O país é então atingido por uma série interminável de ataques terroristas [na sua imensa maioria, ataques de “Falsa Bandeira”, serão operações internas para criar terror e pânico], cada um apresentado como uma razão pela qual o público deve apoiar a guerra. Cada ataque é saudado pelos ativistas de esquerda como um ato de “descolonização”, “igualdade” de gênero, da Diversidade, et caterva.

Os conservadores vêem esta manobra como ela é e ainda se recusam a apoiar a guerra, assumindo uma posição de “América em Primeiro Lugar”. Por que lutar no exterior quando é a América que está sob pressão?

Biden ainda tenta a lei marcial. Ele oferece cidadania automática aos imigrantes ilegais se servirem nas forças armadas para reprimir protestos internos e usa algumas dessas tropas como presença de ocupação no país. Os esquerdistas Transgênero, LGBTQ+, “acordados”, etc, não querem lutar no Oriente Médio, mas gostam de ver aos migrantes ser dada cidadania fácil e poder sobre os americanos. Eles defendem a medida – Acham que se os migrantes ocuparem as fileiras militares talvez não sejam convocados.

Os conservadores rebelam-se, a América entra na balcanização ou na guerra civil, ou em ambas. Os patriotas são acusados ​​de ajudar os inimigos dos Estados Unidos e também são rotulados de terroristas. A partir deste momento, tudo pode acontecer.

Acredito que o gatilho [JUDEU KHAZAR] israelita pode ser maior do que a covid em termos do potencial desastre e da tirania global que poderá ocorrer [esse é o resultado que esta sendo INTENCIONALMENTE buscado]. Se continuar a aumentar e se transformar num conflito em larga escala, as probabilidades de a luta regressar à América NUM EFEITO DOMINÓ são elevadas. Não apenas em termos de terrorismo, mas também em termos de agitação civil e de guerra à nossa porta. Se apoiarmos a guerra, a lei marcial é uma certeza. Se não apoiarmos a guerra, a lei marcial será tentada, mas pelo menos há cenários em que isso poderá falhar.

Eu diria que a única coisa que salvará a América nesta fase é o crescimento do movimento nacionalista e conservador América Primeiro. Quando falamos de America First, isto inclui não apenas a segurança americana, mas também as liberdades americanas. NÃO HÁ RAZÃO para que não possamos ter os dois. Se os conservadores (e independentes) forem atraídos para a Terceira Guerra Mundial, será o nosso fim.


“E ouvireis de GUERRAS e de rumores de GUERRAS; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores.  –  Apocalipse 13:16


AVISO PARA OS ASSINANTES DO BLOG: Para os leitores assinantes do Blog, que recebiam o link para acessar as postagens em seus endereços de E-Mail, solicitamos, por favor, que refaçam a sua inscrição aqui neste LINK: https://linktr.ee/thoth3126, devido à problemas técnicos e perda de dados que tivemos com a migração de servidor. Também avisamos aos nossos leitores que estamos preparando uma NOVA VERSÃO do Blog que em breve será disponibilizada para todos.
Convidamos também a conhecerem e seguirem nossas redes sociais:
Instagram: https://www.instagram.com/th.oth3126/
Facebook: https://www.facebook.com/thoth3126.blog
X (antigo Twitter): https://twitter.com/thoth3126_blog
Youtube: https://www.youtube.com/@


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.